Engenheiro Coelho assina acordo com a USP para mapeamento de árvores

Engenheiro Coelho assina acordo com a USP para mapeamento de árvores

A prefeitura de Engenheiro Coelho firmou parceria com Fundação de Apoio a Pesquisa da Universidade de São Paulo (FUNDAG-USP), para realizar o Plano de arborização urbana. O acordo foi firmado após uma reunião entre o prefeito, Dr. Zeedivaldo Alves Miranda, o Diretor do Meio-Ambiente, Rossard Oliveira e representantes da FUNDAG-USP.
Segundo Rossard, “será realizado um inventário de todas as árvores da área urbana, utilizando o Sistema de Informação Georreferenciada (SIG), para registrar as informações, que serão disponibilizadas em formato digital, posteriormente. Essas informações serão primordiais para a adequação das árvores existentes, e orientarão as podas e as substituições para um adequado manejo das espécies arbóreas urbanas na cidade.”
A partir do estudo, Engenheiro Coelho terá os dados completos da cobertura vegetal urbana, semelhante ao que acontece na região da Califórnia, nos Estados Unidos, onde o sistema implantado pelo I-tree já fornece informações de todas as árvores. Rossard afirma que, “cada árvore será fotografada e sua identidade registrada, possibilitando o planejamento e gerenciamento com mais precisão e agilidade”.
A parceria com a FUNDAG-USP também prevê o mapeamento e análise das copas das árvores, possibilitando o diagnóstico do microclima. A partir desses dados, ações para amenizar o microclima, através do plantio adequado de árvores, com espécies corretas para a área urbana, poderão ser tomadas pelo poder público.

Risco de queda
Após o encontro com o prefeito, os pesquisadores foram até a Escola Estadual Antônio Alves Cavalheiro. Há alguns dias atrás, uma árvore que estava plantada no pátio da escola caiu, após uma chuva que atingiu a cidade.
Os pesquisadores utilizaram um tomógrafo para analisar o interior do caule da árvore e constatar se existe problemas estruturais. Assim, foi possível determinar se existe risco de queda ou não. Esse diagnóstico foi realizado em outras árvores e já ficou determinado a necessidade de substituição em algumas delas. Esse processo será feito mediante um planejamento para que a nova espécie não venha causar problemas futuros.
Outras árvores também passaram pelo exame dos pesquisadores. Rossard salienta que, “já definimos a substituição de algumas árvores após essa análise preliminar. Algumas serão substituídas e outras receberão podas esquadras de limpeza e condução conforme as necessidades. Porém, o mais importante nesse momento é informar a população que todas as mudanças propostas serão realizadas por prévio estudo por especialistas da área de arborização e já estão pautadas na Lei de Arborização do nosso município.”.